Quase 70 crianças mortas em atentado contra comboio de civis na Síria

Número de mortos já passa de 120 pessoas


Ao menos 68 crianças figuram entre as 126 pessoas que morreram no atentado nesse sábado (15) contra o comboio de ônibus que transportava habitantes evacuados de duas localidades leais ao regime e sitiadas na Síria, segundo balanço. O ataque foi um dos mais violentos nesses seis anos de guerra.

"O balanço não para de aumentar. Há centenas de feridos", indicou à AFP Rami Abdel Rahman, diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), que anteriormente havia dado um balanço de 112 mortos.

Por outro lado, informou que 109 dos 126 mortos eram habitantes de Fua e Kafraya, as duas localidades pró-regime evacuadas, enquanto que o resto se trata de rebeldes que custodiavam os veículos e trabalhadores humanitários. contra um comboio de ônibus, um dos ataques mais violentos em mais de seis anos de guerra.

O balanço deste atentado, que ainda não foi reivindicado, poderá aumentar devido ao estado grave de alguns feridos, segundo o Observatório Sírio de Diritos Humanos (OSDH).

O suicida detonou um carro-bomba perto da cidade síria de Aleppo contra o comboio de ônibus que transportavam civis e combatentes evacuados desde sexta-feira das localidades pró-regime.

"O suicida estava dirigindo uma caminhonete que transportava ajuda alimentar e detonou o veículo perto dos 75 ônibus" estacionados em Al Rashidin, setor rebelde a oeste da metrópole, de acordo com OSDH.

Cerca de 5.000 pessoas evacuadas na sexta-feira das cidades de Fua e Kafraya, duas localidades favoráveis ao regime e sitiadas pelos rebeldes, estavam a bordo dos ônibus visados.

A evacuação se deu em virtude de um acordo que permitiu a evacuação simultânea de duas cidades rebeldes sitiadas pelo regime.

Fonte: FolhaPE
COMPARTILHE NO GOOGLE+

About Barreiros Esta é a Cidade

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário