Hoje faz 7 anos da enchente que devastou Barreiros

Em 18 de Junho de 2010 ocorreu a segunda grande enchente documentada da cidade de Barreiros. Segundo notificações da Defesa Civil as áreas afetadas foram parte da zona rural e toda da zona urbana. As causas dos desastres foram intensas chuvas ocorridas no dia 17 e 18 de Junho, especialmente no dia 18, ocasionando o transbordamento de rios e riachos das localidades, e consequentemente causando afetadas, fugindo à normalidade climatológica, e consequentemente causando severos danos e prejuízos á população local.

Intensas precipitações pluviométricas influenciada pelo fenômeno conhecido como “ Ondas de Leste” tendo sido registrado até o dia 17 de junho 2010 um acumulo de 401,8 mm para uma média histórica no mês de junho de 306,0 mm . A situação foi agravada pelas precipitações registradas no dia 18 Junho de 2010, onde em menos de 12 horas choveu 90,0 mm bem como índices registrados a montante ao longo da Bacia do Una. ( Relatório de Danos da Defesa Civil 2010).


As águas chegaram á cidade no dia 18 de Junho (sexta) aproximadamente as 00:00hs, alcançando seu ponto máximo por volta do dia 19 de junho ( sábado) aproximadamente as 16:00hs da tarde. Neste ponto já haviam vários desabrigados e não se podia ter acesso a cidade, pois todas as passagens foram bloqueadas. Estas águas vieram das cidades vizinhas que tem o riu Una cortando as cidades e o volume foi mais intenso devido aos diversos afluentes que desaguam nos rios nos dias anteriores. Apenas alguns pontos não foram atingidos, porem quem estava nestes locais não podiam se locomover para nenhum outro lugar porque estavam ilhados. Neste mesmo dia ocorreu a caída das duas pontes da cidade que davam acesso as grandes Bairros ( Vila Baeté e o bairro do Hospital). As águas só começaram a baixar no dia 20 de junho (domingo) desaguando no mar totalmente no dia 21 de junho (segunda) era época de maré cheia e dificultou o desague das águas acumulando-se por aproximadamente dois dias.





  O município de Barreiros tem um regime de chuvas concentrado no período de outono /inverno onde há um aumento nas precipitações que pode chegar a uma média de 300 mm por mês aonde nos meses de junho e julho chega até a 700 mm. A cidade é composta por rios e riachos dentre eles estão o rio Carimã, o riacho Itaperibú e o rio Una. Este ultimo, não é proveniente da cidade ele nasce na Serra do Salobro no município de Capoeiras e corta a cidade desaguando no distrito de Várzea do Una. A cidade é parcialmente circundada por rios ao qual só se pode ter acesso às diversas localidades da cidade através de pontes. Percebe-se que esta é toda construída em torno dos rios. Com isto a ocupação das áreas ribeirinhas foi inevitável para o desenvolvimento do município. Portanto o município carrega históricos de grandes enchentes ocorridas no decorrer dos anos. Estas enchentes são datas de 1858, 1924, 1940, 1962, 1970, 1975, 2000, 2010.  De 1858 á 1975, as enchentes ocorridas não afetaram de forma tão ampla como foram as de 1975, 2000 e 2010, sendo as de 2000 e 2010 as maiores já registrada, atingindo todo o comercio da cidade e destruindo casas e patrimônios públicos.

Como temos índices de precipitações razoáveis na região e por ser cortada pelo rio Una que percorre varias cidades até chega ao município recebendo águas de vários afluentes até encontrar-se com o mar as possibilidades de ocorrerem às enchentes são mais intensas.

Os engenhos atingidos foram: Roncadorzinho, Regalia, Campo Verde, cachoeira Linda, Bombarda, Oiteiro Alto, Boa Esperança, São Domingos, Santa Cruz, Muitas Cabras, Bragança, Roncador, Araticum, Serra D’água do Una e Camotengue.


Fonte: Ana Barreto 
COMPARTILHE NO GOOGLE+

About Barreiros Esta é a Cidade

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário